Os Dias Eram Assim – Amor nas décadas de 70 e 80

Em Abril estreia a super série da Globo “Os Dias Eram Assim”, que contará a história de amor de Renato e Alice.  Renato é primogênito de uma família classe média de Copacabana e Alice pertence a uma família conservadora.

Renato e Sophie durante as gravações

É o amor por Renato que faz Alice tomar coragem de contrariar o principal desejo dos pais: casar a filha com Vitor, com quem à moça namora há anos. São dois mundos que se cruzam por amor e serão separados pela relação conflituosa entre as duas famílias, potencializada pelo ambiente de conflito reinante no país. Eles irão se conhecer na década de 70 e vivenciar momentos fortes e marcantes. Repressão da ditadura, violência, protestos e as Diretas Já nos anos 80.

Renato e Alice – Casal Protagonista

Renato e Alice irão se separar abruptamente, pois o jovem médico cairá na armadilha do ex namorado da amada e será obrigado a se mudar para o Chile e anos depois ambos irão  se reencontrar. Uma linda história de amor com temática forte que irá mostrar pessoas comuns e seus amores afetados pelo contexto histórico do Brasil na época. E de como esse momento foi capaz de interferir em vidas, sonhos e amor.

Close no look de época da personagem de Sophie Charlote

Renato Goés em seu primeiro papel de protagonista da carreira

Os Dias Eram Assim tem estreia para Abril no horário das 11hs. Com Renato Góes no papel de Renato e Sophie Charlote como Alice, ainda conta com artistas como Gabriel Leone, Daniel de Oliveira, Susana Vieira, Maria Casadevall, Marcos Palmeira, Letícia Spiller e outros.

O que a história separou só o amor pode unir de novo.

Salvar

Salvar

Idas e vindas do amor

Recentemente relendo o livro Enquanto O Amor Não Vem me deparei com trechos que me chamaram a atenção e que na primeira vez passaram batidos. Era especificamente o fato de a pessoa ir em busca do amor e não conseguir encontrar por estar procurando de maneira errada ou lugar errado. Na verdade o amor está dentro de nós e é aquilo que nós fazemos melhor. Em outras palavras, nós precisamos nos amar primeiro e tomar um tempo para nós e só então o amor irá acontecer.

Mas isso deverá acontecer, por exemplo, no que a autora chama de meio – tempo. O meio – tempo é quando nos encontramos entre o espaço de um relacionamento e outro. Esse tempo serve para pensarmos, refletirmos sobre nós, nossa vida, nossos relacionamentos passados até mesmo nossos parceiros e ex parceiros. Ele nos ajuda a descobrir o que realmente nós queremos e crescer como pessoa. Para isso é preciso se libertar de antigos padrões de comportamento, ou seja, mudar de atitude e fazer coisas diferentes. Claro que ao fazer isso iremos perder algumas coisas adquiridas ao longo dos anos anteriores e até mesmo pessoas.  É um momento difícil, mas é preciso, por isso você deve ter calma e paciência.

Segundo Iyanla Vanzant, não existe um tempo determinado no meio – tempo. Cada pessoa fica o tempo que for necessário até que ela ou o parceiro esteja pronto para o amor. Haverá situações em que você estará pronta e seu parceiro não. E isso explica o motivo de muitas vezes o relacionamento não dar certo naquele momento.  Um dos dois poderá estar curado de inseguranças, ter perdoado os erros e o outro não. Para que o amor finalmente possa acontecer é preciso que o casal trabalhe junto. Enquanto isso não acontecer você ficará no meio – tempo até a pessoa estar pronta. Mas não devemos desanimar porque isso tudo é bom e irá nos ajudar a ficarmos fortes, pois nesse meio – tempo que também é preparatório iremos encontrar, conhecer e nos relacionar com outras pessoas que irão nos ajudar e ensinar sobre a vida e o amor. Esses relacionamentos servem na verdade para nos preparar e aproximar-nos do amor.

Isso tudo me fez pensar e lembrar uma reportagem recentemente lida:

A história de amor da jornalista Leila Cordeiro que foi casada com o jornalista Eliakim Araujo por mais de 30 anos até a morte dele. Após a morte de seu esposo, Leila foi procurada pelo ex noivo Wilson Pariz através do Facebook. Leila e Wilson se conheceram na juventude, namoraram e ficaram noivos, mas infelizmente o relacionamento terminou e cada um foi viver sua vida. Leila ainda se envolveu com outro rapaz e tempo depois conheceu e se casou com Eliakim.  Wilson também se casou e se separou; mas nunca esqueceu Leila.

Ele guardou todas as lembranças que tinha dela como fotos e cartas. Agora já maduros e experientes eles se reencontram e retomam a antiga amizade que se torna num lindo amor. Leila ainda diz que antes de se entregar ao amor ficou apreensiva e com medo dos comentários maldosos, mas abriu seu coração para a grande aventura do amor! E eles viveram literalmente uma bela aventura a bordo de um veleiro com testemunhas especiais: sol, mar e a lua.

Por isso queridos, não desanimem se as coisas não estiverem dando certo agora. Posso estar falando, ou melhor, escrevendo para alguém que acabou de sair de um relacionamento ou simplesmente alguém que ainda está na fase de discutir o relacionamento.  Você pode agora estar no meio de uma discussão e ao mesmo tempo se perguntando o porquê disso tudo estar acontecendo, mas como a autora do livro diz “A pessoa que fica para brigar conosco (o que não significa briga física) normalmente é a que realmente nos ama. Nos ama e está disposta a lidar com nossos problemas, porque deseja investir no fortalecimento mútuo.” Essa pessoa na verdade só quer te ajudar, e quer tentar salvar o relacionamento. Mas se isto estiver acontecendo com muita frequência então é melhor dar um tempo antes que ambos se machuquem. Então você e seu parceiro entrarão no meio – tempo para futuramente se uniram novamente. Pode demorar um dia, uma semana, um mês ou até mesmo anos, mas tenha certeza de quando chegar o momento certo será maravilhoso!

 

 

 

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Diana

Recentemente assisti o filme Diana que a principio pensei que fosse um documentário sobre a vida da princesa Diana, mas me enganei pois na verdade era um filme baseado no livro biográfico sobre os dois últimos anos de vida dela e seu ultimo amor que era secreto.

Tanto o livro quanto o filme mostram a vida triste, solitária e os muitos compromissos  com entidades sociais que ela gentilmente ajudava. Um dia ao saber que um amigo querido foi operado as pressas, ela vai ao hospital em que ele estava internado e lá conhece o doutor Hasnat Khan de origem paquistanesa. Diana fica encantada por ele não a tratar como uma princesa. Ambos se apaixonam e iniciam um relacionamento ás escondidas, pois ele queria ter uma vida reservada.

Confesso que fiquei curiosa sobre a história e fui pesquisar um pouco a respeito dela já que a mídia não falava muito sobre isso. Tudo o que sabemos é o que os jornais e as revistas mostravam na época mas e a vida intima dela? Somente aqueles que conviveram com ela como parentes amigos e funcionários do castelo é que sabem da verdade.

O que consegui encontrar sobre a história foi : Diana e Hasnat se conheceram entre os meses de agosto e setembro de 1995 num hospital em Londres. Ele frequentava o palácio de Kensington onde Lady Di vivia e se encontravam onde os meios de comunicação não podiam entrar. Hasnat também conheceu os príncipes Harry e William. Diana chegou a presenciar uma cirurgia do coração feita pelo doutror Hasnat e ela o chamava de “Mr Wonderfull”.  A princesa queria muito se casar com o doutor e foi visitar e conhecer a família dele no Paquistão, infelizmente a mãe dele não aprovou o relacionamento por achar que ela não seria uma boa esposa para ele. Diana tentou conquistar a avó do médico convidando-a para um chá no castelo. Por Hasnat querer uma vida privada e não ter aprovação da mãe que queria que ele seguisse as tradições da família e do seu povo Diana decidiu terminar o relacionamento. Pouco tempo depois ela conheceu  Dodi Al-Fayed. O livro e o filme mostram que ela usou o milionário para provocar ciúmes em Hasnat. Ou seja, ela morreu amando Hasnat!

Hasnat negou a história e disse que o filme era pura mentira, mas numa entrevista ele acabou confirmando e dizendo que “foi a princesa que terminou o relacionamento e um dos principais motivos era o assédio da imprensa. Ele disse ainda que nem as fontes consultadas ou parentes e amigos de Diana sabiam qualquer detalhe do que se passava entre as paredes do palácio ou no seu quarto – e – sala em Chelsea.”

diana-and-hasnat

Algumas imagens da época: Diana e Hasnat, Diana com roupa cirúrgica no hospital, Diana e a avó de Hasnat.

O filme foi lançado em 2013 e recebeu muitas criticas. Eu acredito que as pessoas não gostaram de ver esse lado da princesa. Elas preferem guardar na memória a imagem da princesa Diana, que usava roupas lindíssimas, que era elegante e gentil com as pessoas e fazia bondade. Mas a verdade é que ela não era uma princesa nascida na realeza, mas sim uma plebeia que casou com um príncipe e se tornou princesa. A mídia mostrava uma mulher bonita, elegante e bondosa que vivia uma vida luxuosa num palácio, mas ela era uma mulher simples e comum que mesmo sendo adorada pelo mundo todo ainda sentia falta de amor. Ela queria ser amada como mulher e não como uma celebridade. Confesso que essa história mexeu um pouco comigo e me fez pensar em muitas coisas. Eu já admirava a princesa e agora a admiro mais!