Uma carta para o meu eu do passado

Querida Kelly, como vai você? Estou escrevendo esta carta diretamente do seu futuro, pois senti uma saudade imensa da criança que você foi e é. Ah! Como é bom ser criança. Ser adulto é tão chato! Nós temos que trabalhar, nos preocupar com tantas coisas ruins e sérias como pagar as contas e ainda por cima temos que aturar algumas pessoas chatas que se intrometem nos nossos assuntos. Aproveite ao máximo sua infância e adolescência, pois essa fase passa muito rápido e quando você perceber já estará adulta…

Brinque mas brinque muito de boneca, casinha, esconde-esconde, pega-pega enfim. Ser criança é a melhor coisa do mundo, pois você não tem que se preocupar com nada. Continue sendo essa garota esperta e nunca mude por nada e nem por ninguém. Seja forte e corajosa e não de importância para que os outros digam sobre você, quem te amar de verdade irá te aceitar do jeito que você é. No futuro você irá encontrar pessoas boas e pessoas ruins. Alguns irão te criticar e outros irão te apoiar, fique do lado daqueles que demonstram amor e carinho por você, pois elas são do bem!

Olhando suas fotografias eu vejo o quanto você é feliz… Conserve sempre este sorriso e a felicidade que existe dentro de você. Viva amando sempre!

Esse texto foi escrito ao som de Marcela Taís – Naquela Rua.

Salvar

Salvar

Salvar

Leia também:

10 músicas que lembram minha infância

Nem só de músicas infantis foi feita a minha infância. Eu me lembro da Tia Isolina fazendo faxina ouvindo músicas populares que hoje são consideradas bregas no rádio AM. Algumas eram lentas e românticas e outras mais alegres e dançantes. Eu escolhi algumas músicas para relembrarmos. Cuidado! Algumas são chicletes e ficam na cabeça! hehe

walkman

Wando – Fogo e Paixão

Você é luz, é raio estrela e luar,
Manhã de sol, meu iaiá, meu ioiô

Tetê Espíndola – Escrito nas Estrelas

Meu amor, nosso amor
Estava escrito nas estrelas
Estava, sim

Biafra – Sonho de Ícaro

Voar voar, subir subir ir por onde for
Descer até o céu cair ou mudar de cor

Rosana – O Amor e o Poder

Como uma deusa
Você me mantém

Markinhos Moura – Meu Mel

Meu mel não diga adeus, eu tenho tanto
Medo, de ficar sem o seu amor

Kátia – Qualquer Jeito (Não está sendo fácil)

Não está sendo fácil viver assim…
Você está grudado em mim …

Sidney Magal – Me chama que eu vou

Eh-ô eh-ô!
Me chama que eu vou!

Jane Duboc – Sonhos

E eu sou feliz assim
Com você perto de mim

Beto Barbosa – Preta

Preta, fala pra mim
Fala o que você sente por mim, oi oi oi ohhh

Kaoma – Chorando se foi (Lambada)

A recordação vai estar com ele aonde for
A recordação vai estar pra sempre aonde eu for

Leia também:

Fotos da minha infância

Olhando meus álbuns de fotografia da minha caixa de recordações encontrei algumas fotos que me fizeram voltar no tempo. São momentos doces e alegres que resolvi compartilhar com vocês.

tia-isolina

Tia Isolina

Tia Isolina foi uma boa senhora que trabalhou como empregada em nossa casa quando morávamos em Sertãozinho. Ela não só cuidava da casa mas cuidava de mim e de minha irmã quando ela nasceu. Sempre me lembro dela cuidando de mim, contando histórias para mim na hora do almoço, ouvindo rádio enquanto faz a faxina, assistindo novelas e conversando comigo. Nós gostávamos muito dela!

sertaozinho

Sertãozinho – SP

Sertãozinho em meados dos anos 80 era uma cidade pequena. Minha rua não era muito tranquila e de vez em quando passava algum carro mas nós crianças podíamos brincar na rua até tarde da noite. Eu morava de frente a um terreno que os meninos usavam para jogar bola. Atravessando este terreno nós chegávamos na pequena estação de trem. Era muito bom morar perto da escola, igreja e centro da cidade. Saudades dos geladinhos que refrescavam no calor, quem fabricava eles era nossa vizinha e mãe de uma amiguinha minha.

casa

Eu no portão de casa em Sertãozinho

festa-do-livro

Festa do Primeiro Livro – 1ª Série

Esse evento é quase igual a uma formatura e nós mostrávamos para nossos pais e convidados tudo o que havíamos aprendido e em seguida recebíamos de nossa professora o livro ou cartilha. Era muita emoção! Na foto estou recebendo o diploma de minha mãe que na época era a secretária da escola.

desfile

Desfile 7 de setembro

Por ser filha de professores cheguei a participar algumas vezes de desfiles escolares como 7 de setembro e aniversários da cidade. Nesta foto eu estava na 2.ª série e morávamos em Presidente Venceslau. Veja minha cara de compenetrada segurando a bala gigante! hehehe

 

 

Leia também: